ACTO 10: Activistas bombardeiam primeiro-ministro com aviões de papel e exigem que diga a verdade sobre os impactos do aumento do tráfego aéreo.

“Mais aviões? Só a brincar!”
Precisamos dum plano B porque não há planeta B

Lamentamos estragar a vossa festa, mas o rio Tejo, aqui ao lado, a nossa cidade e as gerações futuras não têm nada para celebrar.

O primeiro ministro assinou com a multinacional Vinci um acordo para não só aumentar o aeroporto da Portela como construir um novo no Montijo, em plena reserva natural. O plano é quase duplicar a média de movimentos aéreos por hora – de 38 para 72 – e chegar a mais de 50 milhões de passageiros por ano. Isto é 10 vezes o número de passageiros de 2004. E abrir as portas a mais milhões de turistas todos os anos, numa cidade onde vivem 500 mil pessoas.

Senhor primeiro ministro, chegou a hora de dizer a verdade sobre o custo real deste acordo. A temperatura global está a subir e os fenómenos climáticos extremos a aumentar. Caminhamos para a sexta extinção em massa. Para os nossos filhos poderem viver neste planeta, temos de reduzir drasticamente as emissões nos próximos 10 anos.

O governo assumiu o compromisso de Portugal ser neutro em carbono em 2050 (descarbonizar2050.pt). Acha este roteiro realista perante a catástrofe em curso? E atrair mais movimentos aéreos é compatível com esforços de descarbonização?

O aumento do tráfego aéreo é um dos grandes responsáveis pelo aumento de emissões. As emissões dos aviões têm o dobro do poder de efeito de estufa. Não há meio de transporte tão poluente como este. Um voo é responsável por 30 vezes mais emissões do que a mesma viagem em comboio de alta velocidade.

Trazemos até vós o ruído dos aviões, para vos lembrar de que um aeroporto no Montijo comprometeria a saúde e a qualidade de vida de 30 mil pessoas. O aumento na Portela afetaria centenas de milhares de habitantes, trabalhadores, estudantes e visitantes. A poluição atmosférica e sonora dos aeroportos é causa de AVCs, doenças cardiovasculares e respiratórias, cancros, perturbações no sono e cognitivas.

Diga a verdade sobre as relações entre o poder político, a Vinci e as empresas que lucrarão com este projeto. Diga a verdade sobre a legislação europeia e nacional – relativa à proteção de ecossistemas, à saúde pública, ao direito a um ambiente são e a processos adequados de avaliação ambiental – que está a ser violada neste processo.

Exigimos a suspensão do projeto de expansão da Portela e do novo aeroporto no Montijo. O início dum processo de Avaliação Ambiental Estratégica com vasta participação pública, como previsto pela própria legislação Europeia.

O Estuário do Tejo é um património mundial que temos o dever de proteger. É a maior zona húmida do país e das maiores da Europa, um paraíso de biodiversidade e abrigo para centenas de milhares de aves migratórias. Queremos uma cidade para as pessoas e não para os lucros, onde se possa viver bem e com saúde. Um transporte ferroviário cada vez mais extenso, ecológico e barato. Um futuro para todas e todos.

Se continuarem a aposta no aumento do transporte aéreo, não teremos muitos mais aniversários para celebrar.

Menos tráfego aéreo!
Para os vossos e os nossos filhos: muitos anos de vida!

______

A Aterra – Stay Grounded é uma rede internacional em pleno crescimento, pela redução do tráfego aéreo e por uma forma de mobilidade que respeite os limites do planeta. stay-grounded.org